Recepção e Doação de Óvulos

Esta é uma das maiores decisões para os pacientes que enfrentam a dificuldade de gestar. São dúvidas, raiva, medo, tristeza, insegurança e opressão.... todas essas sensações se misturam quando as tentantes pensam à respeito da recepção de óvulos doados. Mas, após passar por um período de reflexão, conhecimento e aceitação, a ideia de conceber um filho com material genético de outra pessoa torna-se a realização do sonho de vivenciar o processo de gravidez e parto, favorecendo o vínculo mãe-bebê, estabelecendo-se os laços afetivos.

Por outro lado, doar óvulos constitui um ato de solidariedade que permite ajudar uma mulher que não pode ser mãe devido à baixa qualidade ou ausência de óvulos para realizar esse sonho.

A doação compartilhada é a opção oferecida para mulheres que tem indicação de tratamento de reprodução assistida com seus próprios óvulos, mas que não têm condições de custeá-lo. Nesses casos, a paciente concorda em ceder parte de seus óvulos coletados para outra mulher (receptora) que não produz óvulos e esta, por sua vez, oferece um auxílio para pagar parte do procedimento de Fertilização in Vitro da doadora.

 

Critérios de inclusão para ovodoação (doadora) são:

  • Ter menos 35 anos;

  • Não apresentar doenças infectocontagiosas

  • Não possuir histórico de doenças genéticas

  • Ter o tipo sanguíneo e físico compatíveis com a receptora

  • Boa reserva ovariana

  • Pesquisa microbiológica de secreção vaginal

Etapas do tratamento (doação compartilhada)

- O casal doador preencherá um questionário que será utilizado no cruzamento de dados com o casal receptor;

- Uma análise de requisitos mínimos para doação é realizada;

- Caso os requisitos sejam atendidos, a equipe de ovodoação, fará uma busca e seleção da receptadora de acordo com as características físicas e da compatibilidade do grupo sanguíneo de ambas. Assegurando o anonimato, o casal (receptor) terá somente acesso a informações físicas e de saúde da doadora e de seus familiares próximos.

- Definidas a doadora e a receptora, inicia-se o tratamento para ambas, concomitantemente.

Todo esse processo envolve diversas questões legais que precisam ser obedecidas pela doadora, pela receptora e pelos médicos envolvidos no tratamento. Conforme a nova resolução 2.168/2017 do Conselho Federal de Medicina:

1. A doação não poderá ter caráter lucrativo ou comercial.

2. Os doadores não devem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa.

3. A idade limite para a doação de gametas é de 35 anos para a mulher e de 50 anos para o homem.

4. Será mantido, obrigatoriamente, sigilo sobre a identidade dos doadores de gametas e embriões, bem como dos receptores. Em situações especiais, informações sobre os doadores, por motivação médica, podem ser fornecidas exclusivamente para médicos, resguardando-se a identidade civil do (a) doador (a).

5. As clínicas, centros ou serviços onde são feitas as doações devem manter, de forma permanente, um registro com dados clínicos de caráter geral, características fenotípicas e uma amostra de material celular dos doadores, de acordo com legislação vigente.

6. Na região de localização da unidade, o registro dos nascimentos evitará que um (a) doador (a) tenha produzido mais de duas gestações de crianças de sexos diferentes em uma área de um milhão de habitantes. Um (a) mesmo (a) doador (a) poderá contribuir com quantas gestações forem desejadas, desde que em uma mesma família receptora.

7. A escolha das doadoras de oócitos(óvulos) é de responsabilidade do médico assistente. Dentro do possível, deverá garantir que a doadora tenha a maior semelhança fenotípica com a receptora.

8. Não será permitido aos médicos, funcionários e demais integrantes da equipe multidisciplinar das clínicas, unidades ou serviços participar como doadores nos programas de RA.

9. É permitida a doação voluntária de gametas, bem como a situação identificada como doação compartilhada de oócitos em RA, em que doadora e receptora, participando como portadoras de problemas de reprodução, compartilham tanto do material biológico quanto dos custos financeiros que envolvem o procedimento de RA.

Para mais informações, entre em contato com nossa equipe de enfermagem no nosso telefone ou e-mail:

enfermagem@clinicahinode.com.br

LOGpng2.png

HINODE

CLÍNICA DE FERTILIDADE

Avenida General Ataliba Leonel, 1223 - Cj. 101

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social

(11) 2950-6999   

(11) 9.7777-7040 - WhatsApp

Localização
Contatos

Av. General Ataliba Leonel, 1223 - 10º andar. São Paulo, SP

Tel.: (11) 2950-6999

As informações contidas neste site são meramente informativas e educacionais. Em caso de dúvidas, seu médico deverá ser consultado, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina. Todos direitos reservados.; Clinica Hinode

©Clínica Hinode. Diretor técnico: Eliana Morita. CRM: 112878

WhatsApp: (11) 9.7777-7040

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social