Fecundação e Fertilização

Os espermatozóides depositados no trato genital feminino devem passar por muitos obstáculos e ascender pelo canal cervical, útero e por fim as trompas uterinas onde geralmente encontrará o oócito, já ovulado e captado pelas fímbrias da tuba uterina. Para que a fecundação ocorra de maneira satisfatória, a quantidade e a qualidade dos espermatozoides devem estar de acordo com o biológico esperado.

img19

Os espermatozóides são capazes de sobreviver por até 72h dentro do longo trato genital feminino até que consiga encontrar o óvulo, o qual necessita ser captado pelas fímbrias da tuba uterina e então prosseguir por esta. Muitos dos espermatozoides acabam morrendo no caminho, aqueles que encontram o óvulo, ainda precisam ter energia e nutrientes o suficiente para penetrar as duas membranas protetoras, conhecidas como Corona Radiata e Zona pelúcida, essa última será responsável por impedir que outros espermatozoides entrem simultaneamente.

O óvulo maduro ao ser fecundado pelo espermatozoide passa a ser denominado ZIGOTO. À medida em que o zigoto passa pela trompa em direção ao útero, vai sofrendo múltiplas divisões celulares, até chegar em sua forma conhecida por Mórula. Entre o 4˚ e 5˚ dia após fertilização as células passam a se agregar nas periferias e teremos um espaço repleto de liquido no seu interior, formando o Blastocisto/Blasto. A partir do 6˚ dia o blastocisto  implantará no endométrio, dando início a nova fase da gestação.

img20

Entre em Contato

Rolar para cima