Recepção de óvulos

A recepção de óvulos é um assunto que muitos só escutam quando já estão nas clínicas de reprodução humana com resultados negativos de tratamentos anteriores ou com exames que indiquem a falta de qualidade ou quantidade de óvulos. Esse diagnóstico é um dos mais devastadores pra um casal.

Os óvulos vão perdendo qualidade e reduzindo em quantidade com a idade da mulher e as chances de gravidez natural ou até com tratamentos de reprodução caem gradativamente a partir dos 35 anos e mais acentuadamente após os 40 anos.

Para casos de falência ovariana precoce, idade mais avançada para mulheres com desejo reprodutivo, ou doenças genéticas, existe a possibilidades de usar óvulos doados de mulheres entre 18 e 35 anos saudáveis.

img35

Assim como existe também a opção de usar espermatozóides de bancos de sêmen para homens com alterações de esperma ou para produção independente ou casais homoafetivos, existem bancos de óvulos ou de potenciais doadoras.

Nesse caso é mais complexo comparado com a doação de sêmen pelo processo envolvido na estimulação ovariana e captação de óvulos pela doadora.

As etapas do tratamento são:

  • a escolha dos óvulos da doadora mais compatível com o casal,
  • os óvulos da doadora são injetados com os espermatozóides do casal receptor para obter embriões em laboratório,
  • os embriões são transferidos para o útero da receptora previamente preparado para implantarem e obter a gestação

Esse assunto ainda é delicado e gera dúvidas na maioria dos casais que não querem ter filhos com genética diferente da sua, mas é uma opção que deve ser discutida com carinho pelas altas chances de sucesso, em torno de 50 a 60%, de ter o sonho de engravidar e ter seus filhos.

Outro detalhe importante é que estudos mostram que existe uma influência até em nível genético no feto que se forma, dessa mãe que gera, conhecido como epigenética. Portanto a receptora determina como será seu filho mesmo sendo óvulo de outra pessoa.

Entre em Contato

Rolar para cima